Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais
 

O Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais - IPFD - pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos constituída em 10 de Setembro de 1991, foi qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público via Parecer nº 8247/2008 publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 14 de janeiro de 2008.

É uma associação educativa, cultural e midiática que visa atuar com políticas públicas e sociais através de processos comunicativos, culturais e educativos formais, informais e não-formais; gestão, organização e preservação de informações e acervos; formação, ensino e pesquisa, treinamento, qualificação e requalificação profissional objetivando o desenvolvimento e aperfeiçoamento contínuo do indivíduo e o seu direito ao exercício pleno da cidadania.

Histórico de fundação

Criado com o nome de Hemeroteca Sindical Brasileira durante o 1º Encontro Paulista dos Profissionais da Comunicação Sindical, em 10 de setembro de 1991, teve como um dos seus objetivos estratégicos colaborar na preservação da memória da imprensa popular e dos movimentos sociais, dentre eles reunir a imprensa sindical corrente - todo e qualquer material informativo produzido pelos departamentos de imprensa das entidades sindicais, intersindicais e associações de classe de trabalhadores de todo o Brasil - e contribuir para a sua preservação.

Concebido na época como um centro de apoio ao curso de Jornalismo da ECA/USP - até então o único entre os 65 cursos de Jornalismo existentes no Brasil que mantinha uma disciplina com esse caráter - Jornalismo Comunitário e Jornalismo Sindical - a entidade tinha também como proposta subsidiar os alunos de graduação, pós-graduação, pesquisadores das diversas áreas da Universidade, e todos interessados na temática comunicação - trabalho a partir do campo real do conhecimento.

Seu acervo inicial foi reunido junto a diversas entidades sindicais pelos alunos que cursaram a disciplina Jornalismo Sindical, na ECA/USP, sob orientação do professor e jornalista Sergio Gomes, entre 1986 e 1992. Formou-se também a partir do acervo doado pela Oboré Editorial e do material reunido dos participantes dos três Encontros Brasileiros de Profissionais da Comunicação Sindical (86, 87 e 89) e dos três Encontros Paulistas (91, 92 e 93), coordenados pela ECA/USP e, posteriormente, pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.

Constam deste acervo jornais, boletins, folhetos, filipetas, adesivos, cartazes, brindes, torpedos, cadernetas, revistas, dossiês, inclusive títulos extintos e algumas coleções completas; porém, a grande maioria é publicação corrente. Dos 519 títulos catalogados até 1993, foram microfilmados pela Fundação Biblioteca Nacional 131 títulos, ou seja, 5.587 páginas de imprensa sindical reunidas em 6 rolos de microfilmes.

Entre 1991 e 1997, um dos subprodutos dos inventários anuais foram os catálogos "Para Falar com a Imprensa Sindical de São Paulo " - que forneciam material para produção de clippings destinados a instituições de pesquisa, órgãos de fiscalização, secretarias de Estado, veículos da grande imprensa, representantes do Poder Legislativo e entidades sindicais: "Pronto Socorro" (saúde e segurança); "Fala Trabalhador" (relações do trabalho) e "Mundo do Trabalho" (condições e meio ambiente de trabalho). A publicação registra as entidades sindicais que têm imprensa própria, com o nome corrente da entidade, endereço completo, telefones, fax, email, nome do diretor do Departamento de Imprensa e do profissional responsável pelas publicações. Todas essas informações visam a facilitar a imediata organização de mala-direta e condições para o surgimento de uma verdadeira "multi-agência sindical de notícias".

Em 1993, a entidade foi convidada pela Secretaria de Estado de Relações do Trabalho para coordenar tecnicamente o Prêmio Imprensa Sindical. Renascido em outros moldes, o Prêmio teve como tema "Saúde e Segurança do Trabalhador" com o objetivo de estimular os meios de comunicação dos trabalhadores a dar o máximo de atenção à luta em defesa da saúde, contra os acidentes no trabalho e às doenças profissionais, além de popularizar o conhecimento das Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que tratam da fiscalização e saúde no ambiente de trabalho.

Desde a década de 1990, tem desenvolvido atividades ligadas à área da formação, capacitação e comunicação, especialmente voltadas à potencialização dos assuntos das políticas públicas e da participação da população na condução e fiscalização dessas políticas - o chamado controle social. Seus projetos e propostas procuram iluminar a importância dos pequenos meios de comunicação - populares e alternativos - e valorizar a face humana desses veículos, ou seja, seus comunicadores, figuras importantes no esclarecimento da população sobre seus direitos de cidadania, seja na área da saúde, educação, meio-ambiente, trabalho ou mesmo para dirimir a verdadeira exclusão discursiva que afeta milhares de brasileiros e brasileiras, ainda sem voz e sem direito à livre expressão por falta de acesso aos meios tradicionais de comunicação.

Vale ressaltar que sua criação foi incentivada e apoiada tecnicamente pela Fundação Biblioteca Nacional que, em 1991, incluiu a imprensa sindical dos trabalhadores no Plano Nacional de Micriofilmagem de Periódicos como forma divulgar e garantir o cumprimento da Lei do Depósito Legal (Decreto nº 1825 de 20/12/1907).

Em fevereiro de 2005, seu acervo foi definitivamente incorporado, sbo custódia, aos arquivos e coleções do Centro de Documentação e Memória da Universidade Estadual Paulista - CEDEM/UNESP - centro aglutinador de arquivos e coleções, de informações, referências, estudos e pesquisas sobre a história política do Brasil contemporâneo, privilegiando a memória da esquerda e dos movimentos sociais. Em 2008, a entidade passa a ser qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público e passa a denominar-se Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais - IPFD.

Caracterização do acervo

• Jornais, revistas e publicações editadas a partir de 1972 por entidades de trabalhadores urbanos acondicionados em cerca de 1.300 pastas plastificadas com cerca de 30 publicações / títulos em cada pasta
• Arquivo fotográfico do movimento operário da década de 1970 (SP)
• Arquivo digital de programas de rádio do movimento sindical de trabalhadores rurais, produzidos entre 1993 e 2003, com cerca de 600 horas de gravação.
• Seis rolos de microfilmes contendo 5.587 páginas de documentos referentes a 131 títulos.
• Acervo iconográfico de ilustrações produzidas ao longo das décadas de 1970 e 1980, no total de aproximadamente 4.500 itens, acondicionados provisoriamente em sete caixas arquivo de papelão e dezoito pastas que incluem charges, tirinhas, histórias em quadrinhos, vinhetas de divulgação e caricaturas.


VEJA TAMBÉM
 

Atividades detalhadas

Certificado de OSCIP

Estatuto Social

 

Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais - IPFD
Rua Geórgia, 444 - Brooklin Novo - CEP 04559-010 - São Paulo,SP, Brasil
Tel. + 55 11 3256.1594 | Contato : ipesquisa@obore.com
CNPJ 00.648.943/0001-25 | Fundado em 10 de setembro de 1991
Qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público
Parecer nº 8247/2008 - DOU de 14 de janeiro de 2008

 
 
 » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online