Segunda-feira, 24 de Julho de 2017 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  1º Fórum de Avaliação e Planejamento da Rádio Heliópolis

  05/07/2004

 
Sábado passado, 3 de julho, foi dia de trabalho intenso para toda a equipe da Rádio Heliópolis. Durante manhã e tarde, ocorreu o 1º Fórum de Avaliação e Planejamento da emissora, promovido pela UNAS (União de Núcleos Associações e Sociedades de S. João Clímaco e Heliópolis) e coordenado pela OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes. Cerca de 50 pessoas estiveram presentes, avaliando formas criativas de se desenvolver a rádio daqui para frente.
 
Depois de o diretor, Geronino Barbosa, dar as boas vindas, a primeira atividade do dia foi a projeção do filme Uma Onda no Ar, de Helvécio Ratton. O longa metragem conta a história da Rádio Favela, de Belo Horizonte, que durante 20 anos resistiu às perseguições da Polícia Federal até ganhar a concessão de rádio educativa.
 
Pelos depoimentos dos participantes no debate que deu seqüência à projeção, aquela história tem – e muito – a ver com a da rádio Heliópolis. “Vi como é importante o apoio de toda a comunidade”, disse seu Zé Paraíba, um dos pioneiros da região, que chegou em 1969, quando “não havia mais que 50 barracos”. Hoje, são mais de 100 mil habitantes. 
 
A história da rádio remonta a 1992, quando os moradores de Heliópolis, que trabalhavam em um programa de mutirão para a construção de casas na favela, sentiram a necessidade de se organizar e, para isso, precisavam de um meio de comunicação. Com recursos obtidos com a ajuda de padres alemães, que desenvolviam um trabalho na região, foi possível comprar um equipamento bastante simples. Era o início da Rádio Corneta, como era antes conhecida, que não passava de alto-falantes nos postes.
 
Nesses 12 anos, a rádio cresceu, passou a se chamar Rádio Heliópolis, e se tornou uma importante ferramenta de desenvolvimento e coesão da comunidade. Hoje, ela é referência entre as comunitárias em todo o País e em 2002 ganhou o prêmio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) por promoção da cidadania.
 
Se inspiração veio de sobra ao ver o filme, a segunda atividade foi justamente colocar a mão na massa. A platéia se dividiu em grupos de trabalho, sendo que cada um ficou encarregado de pensar estratégias e sugestões para um aspecto da emissora. O primeiro grupo tratou da política de alianças, assim como de gestão e formas de financiamento. Entre as resoluções, estavam estreitar as parcerias e propor aos candidatos a vereadores que se comprometam com ações voltadas à radiodifusão comunitária caso sejam eleitos.
 
Já o segundo grupo tinha como foco a programação da rádio. Durante a conversa, ficou acertado que os próximos passos serão investir mais em notícias locais, fazer parcerias com selos independentes e refazer a grade de programação da rádio. Atualmente a emissora tem ampla diversidade musical – toca forró, MPB, rock, reggae, rap, sertanejo, músicas evangélicas etc. - , mas pouco jornalismo. Haverá um encontro para falar especificamente da programação da emissora.
 
O terceiro grupo discutiu a parte técnica da rádio: estúdios, transmissores, torre, computadores, satélite e telecentro. Foi listada uma série de equipamentos necessários ao bom funcionamento da emissora e encaminhada uma proposta de parceria com o telecentro que fica exatamente no andar de cima, no mesmo prédio da emissora. "A rádio não tem um computador e a idéia é fazer a parceria com o telecentro, que tem equipamentos de última geração", disse J. Maria, locutor da emissora que participou desse grupo.
 
Finalmente, a quarta equipe abordou as questões jurídicas referentes à regularização perante o Ministério das Comunicações, com a orientação da equipe do Escritório Modelo Dom Paulo Evaristo Arns, da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica (PUC_SP). 
 
Cada um dos grupos contou com um coordenador da Rádio e um coordenador da OBORÉ. E em meio à intensa programação, houve, ainda, um grande almoço de confraternização: uma feijoada oferecida pela UNAS e preparada por Dona Elenice dos Santos.
 
Esse foi só o começo do trabalho: já está marcado para o dia 07 de agosto o II Fórum de Avaliação e Planejamento da Rádio Heliópolis .
 
Entre os apoiadores do encontro estavam: Escritório Modelo D. Paulo Evaristo Arns da Faculdade de Direito da PUC-SP; Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes da USP; ABMI - Associação Brasileira da Música Independente; CeperRadcom - Centro de Elaboração de Projetos de Engenharia para Radiodifusão; Quimera Filmes - Helvécio Ratton, Diretor do Uma Onda no Ar; AMARC-Brasil - Associação Mundial de Rádios Comunitárias e Cidadãs; e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador / SP (CEREST).
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online