Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Projeto Repórter do Futuro recebe Prêmio Abraji de Contribuição ao Jornalismo Brasileiro
Texto: Ruam Oliveira (OBORÉ). Foto: Alice Vergueiro
  02/08/2017

Sérgio Gomes, ao lado de amigos e representantes das instituições apoiadoras do Repórter do Futuro. Foto: Alice Vergueiro

O Prêmio Abraji de Contribuição ao Jornalismo Brasileiro, que em 2017 está em sua quarta edição, foi entregue, em sessão solene na tarde desta quinta-feira, 29, durante o 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo.

 Quem recebeu o prêmio deste ano foi o Projeto Repórter do Futuro pelas mãos do coordenador geral do Projeto, o jornalista Sérgio Gomes, diretor da OBORÉ - entidade responsável pela realização dos cursos de formação universitária para estudantes de comunicação.
 
Sérgio Gomes está à frente do Repórter do Futuro desde sua criação, em 1994.  O jornalista, no entanto, fez questão de reforçar que este Prêmio pertence a uma grande equipe e não apenas a ele. "Este reconhecimento pela Abraji do significado do PRF é da maior importância”. Avesso ao “culto à personalidade”, Sergio Gomes entende que  projetos podem ir além da vida de alguém, como é o caso do Repórter do Futuro, que há 25 anos dedica-se á formação de jovens jornalistas. 
 
Quem entregou o Prêmio a Sérgio Gomes foi o jornalista Audálio Dantas, seu amigo de de longa data.  Audálio comentou sobre a trajetória de Sergio Gomes desde seus tempos de estudante universitário até a criação da OBORÉ e do Repórter do Futuro. “O Serjão é um irmão do mundo (...) Cada vez mais o admiro. Tentei entendê-lo, mas até agora não consegui".
 
Durante a homenagem, Sérgio convidou para se juntar à ele no tablado a equipe coordenadora atual e representantes das instituições apoiadoras: Ana Luisa Zaniboni Gomes, diretora da OBORÉ, Cristina Cavalcanti, secretária executiva; Ricardo Paoletti, assessor de imprensa da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp), Pedro Ortiz, que neste ano coordena a Redação Laboratório da Cobertura do Congresso Abraji - atividade integrante do Repórter do Futuro, Aldo Quiroga, da equipe de coordenação pedagógica, Manuel Carlos Chaparro, professor aposentado da ECA/USP e conselheiro do, projeto, Diogo Alcântara, do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), e José Roberto de Toledo ( ex aluno de Sergio na ECA/USP, onde tudo começou).  
 
Thiago Herdy, presidente da Abraji, destacou que escolher o Projeto Repórter do Futuro como homenageado deste ano foi coerente com o que a instituição apoia. “A Abraji é uma entidade que acredita na formação dos jornalistas como uma das melhores estratégias para aprimorar o jornalismo que vem sendo praticado no Brasil. E o Repórter do Futuro  faz isso há 23 anos”, disse.

Assista ao vídeo da Entrega do Prêmio: 


 
Carlos Wagner também foi homenageado na ocasião
 
Todos os anos durante o Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, a Abraji homenageia uma figura considerada importante para o jornalismo brasileiro. Na edição de 2016, a homenageada foi Elvira Lobato, que destacou características necessárias para ser um bom repórter especial. 
 
Este ano o homenageado é Carlos Wagner, ex-repórter do jornal Zero Hora. Vencedor de mais de trinta prêmios - dentre eles, sete Prêmios Esso Regionais. Wagner aposentou-se das redações em 2014, após 31 anos trabalhando no jornal gaúcho.
 
“Tem que ter a ambição de querer ser lembrado (...) O repórter é o cara que anda no escuro e não tropeça", disse Carlos Wagner em documentário feito pela Abraji sobre sua vida. O filme traz depoimentos de antigos colegas de trabalho e editores.
 
Entre brincadeiras sobre a profissão e sua rotina de trabalho, Wagner comentou sobre o atual contexto político e disse ter dúvidas em relação ao que está sendo publicado sobre a Operação Lava Jato. Ele critica o fato de a imprensa não realizar uma investigação independente. “Nós estamos publicando relatórios”
 
Ele encerrou sua fala apontando que as redações atualmente estão caminhando para uma quebra de hierarquias, onde o repórter é responsável por todos os processos da reportagem, desde escrever até editar e publicar.

Assista ao documentário sobre Carlos Wagner no canal da Abraji no Youtube

Sobre o Repórter do Futuro

Criado oficialmente em 1994, o Projeto Repórter do Futuro surgiu como um curso de complementação universitária, de capacitação e profissionalização de estudantes de jornalismo. Ministrado por especialistas e jornalistas profissionais, busca articular reflexão e prática jornalística, promovendo o autodesenvolvimento e incentivando as carreiras dos jovens. Seus cursos, ofertados semestralmente, contam com o apoio e parceria de organizações da sociedade civil (incluindo a Abraji), faculdades de jornalismo, profissionais da área e lideranças diversas.

 
Os cursos desenvolveram uma metodologia própria de conferências de imprensa seguidas de entrevistas coletivas. Gomes diz que o funcionamento é o mesmo de uma “sala de aula invertida”: os estudantes, que sabem de antemão da presença dos especialistas, escutam uma palestra por quarenta minutos e depois se organizam para entrevistá-los. s  alunos devem então produzir textos e, ao fim do curso, executar uma proposta de produção jornalística para publicação. Os textos são avaliados  individualmente, em encontros com o instrutor do curso.

Acesse o blog Oficial da Cobertura do Congresso

Leia mais

Pelo oitavo ano consecutivo, Repórteres do Futuro realizam cobertura do Congresso da Abraji

Abraji lança Premio Tim Lopes durante o 12º Congresso de Jornalismo Investigativo

 

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online